Reconstrução de Tronco (Mamária)

img_reparadora5cirurgia de reconstrução de tronco (mamária) é uma opção para melhorar a qualidade de vida de uma mulher submetida a uma mastectomia devido ao câncer de mama. Numa mastectomia, a mulher pode ser obrigada a tirar uma parte ou a totalidade das mamas. O objetivo da cirurgia de reconstrução mamária é restaurar a forma e o volume da mama, fazendo a sua reabilitação estética.

Os resultados estéticos da reconstrução mamária são bastante satisfatórios, e as mulheres que se submetem esta cirurgia, sentem-se muito melhor do que as que não a fazem, com evidentes vantagens na preservação de sua autoestima e autoimagem. A cirurgia de reconstrução mamária pode ser realizada com tecidos próprios da pessoa ou com próteses, ou numa conjunção de tecidos próprios com próteses.

Existem várias técnicas de reconstrução mamária e a escolha por uma delas é individualizada para cada caso, levando em conta o tamanho das mamas, a extensão de pele retirada, a quantidade de tecido adiposo abdominal, a presença de cicatrizes prévias, a competência dos músculos envolvidos e a preferência do paciente.

De acordo com o cirurgião plástico Guilherme Miranda, que atende nos bairros de Ipanema e Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, areconstrução mamária feita utilizando os tecidos da própria paciente pode ser basicamente de dois tipos: utilizando retalhos de músculo isolado ou pele e músculo, proveniente do abdome – músculos retos do abdome, chamado de TRAM (do inglês transverse rectus abdominis muscle); ou utilizando retalhos de músculo isolado ou pele e músculo, proveniente do dorso – músculo grande dorsal. Neste último caso, pode ser necessária a associação de uma prótese e silicone para dar mais volume a nova mama, o que não é necessário na cirurgia do TRAM. A cicatriz da cirurgia do TRAM se assemelha a de uma plástica de abdome, porém um pouco mais alta e a cicatriz resultante da reconstrução do grande dorsal é linear transversa nas costas, comumente na altura da tira do soutien.

O Dr. Guilherme Miranda, que atende nos bairros de Ipanema e Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, explica que a reconstrução mamáriarealizada com a utilização de próteses é normalmente precedida pela colocação de expansores teciduais, verdadeiras bolsas siliconizadas, que inseridos sob a pele e músculo do tórax, expandem esses tecidos através da injeção gradual de soro fisiológico por uma válvula, criando um “espaço” adequado. Este será preenchido pela prótese de mama definitiva, em troca do expansor. Atualmente, dispomos das chamadas próteses-expansoras, que são as duas coisas em uma. Ou seja, já é uma prótese definitiva, mas que possui um componente expansível também através da injeção de soro fisiológico por uma válvula, que terá o seu volume aumentado até o final desejado. Há assim, a nítida vantagem de não necessitar de outra cirurgia somente para a retirada do expansor e sua troca pela prótese definitiva.

Indicação:

Mulheres que foram submetidas a mastectomia.

Anestesia:

Na cirurgia de reconstrução mamária, utiliza-se a anestesia geral.

Duração da cirurgia:

A cirurgia de reconstrução mamária dura em média de 3 a 4 horas.

Tempo de hospitalização:

O tempo de internação é de cerca de 12 a 24 horas.

Pós-operatório:

O paciente está liberado após cerca de sete dias para atividades usuais sem esforço físico. Os pontos começam a serem retirados com 15 dias. Musculação e atividades físicas leves são permitidas após 30 dias, porém sem o uso dos braços. Os exercícios físicos pesados com o uso dos braços estão liberados após 60 dias. Recomenda-se o uso de sutiã especial de pós-operatório por no mínimo 30 dias.

Voltar